Desvendando a tabela nutricional

O objetivo da rotulagem nutricional é facilitar ao consumidor conhecer as propriedades nutricionais dos alimentos, contribuindo para escolhas saudáveis e consumo adequado dos mesmos.

 A Tabela Nutricional faz parte da rotulagem nutricional, juntamente com: lista de ingredientes, prazo de validade, nome do produto, identificação da origem do produto, quantidade em gramas ou mililitros que o produto apresenta e declaração de propriedades nutricionais específicas.

 1. Quais são os termos que podem aparecer em uma tabela nutricional de um produto?

 Por lei, na tabela nutricional devem ser declarados os seguintes nutrientes: valor energético, carboidratos, proteínas, gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras trans, fibra alimentar e sódio.

 Os fabricantes também tem liberdade para declarar outros nutrientes, como vitaminas, minerais e colesterol.

 A tabela deve apresentar as informações nutricionais por porção, ou seja, na quantidade média do alimento que deveria ser consumida por pessoas sadias durante as refeições. Exemplos de porção: 1 colher de sopa de queijo ralado (10g); 1 copo de suco (200 mL).

 Além disso, a tabela deve mostrar quanto a porção de alimento contribui para o total de nutrientes que devemos ingerir por dia, ou seja, o Percentual de Valor Diário – %VD.

 2. O que cada um deles significa?

 Valor Energético: É a energia produzida pelo nosso corpo proveniente dos carboidratos, proteínas e gorduras totais. O valor é fornecido em quilocalorias (kcal) e quilojoules (kJ).

 Carboidratos: São os componentes dos alimentos cuja principal função é fornecer energia para o corpo. São encontrados em maior quantidade em massas, arroz, açúcar, mel, pães, farinhas, tubérculos e doces em geral.

 Proteínas: São necessárias para a  construção e manutenção do nosso corpo. Encontramos nas carnes, ovos, leites e derivados, e nas leguminosas (feijões, soja e ervilha).

 Gorduras Totais: As gorduras são fontes de energia do corpo e ajudam no aproveitamento das vitaminas A, D, E e K. As gorduras totais referem-se à soma de todos os tipos de gorduras encontradas em um alimento, tanto de origem animal quanto de origem vegetal.

 Gorduras Saturadas: Gordura presente em alimentos de origem animal, como: carnes, toucinho, pele de frango e queijos. O consumo desse tipo de gordura deve ser moderado porque quando consumido em grandes quantidades pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças do coração.

 Gorduras Trans: Tipo de gordura encontrada na carne, no leite e  em nos alimentos industrializados que utilizam as gorduras vegetais hidrogenadas na sua preparação. Deve-se consumir uma quantidade pequena de gordura trans por dia, considerando que o excesso pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças do coração.

 Fibra Alimentar:  As fibras estão presentes em diversos tipos de alimentos de origem vegetal, como frutas, hortaliças, feijões e alimentos integrais. A ingestão de fibras auxilia no funcionamento do intestino.

 Sódio: Está presente no sal de cozinha e alimentos industrializados, devendo ser consumido com moderação, uma vez que o seu consumo excessivo pode levar ao aumento da pressão arterial.

 3. Quais são os mais comuns?

 Os mais comuns são: valor energético, carboidratos, proteínas, gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras trans, fibra alimentar sódio, vitaminas e minerais.

 4. Qual deles não pode faltar?

 Aqueles que a lei determina que sejam declarados: valor energético, carboidratos, proteínas, gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras trans, fibra alimentar e sódio.

 5. A qual o consumidor deve ficar mais atento?

 A informação nutricional contida no rótulo é a forma mais fácil do consumidor comparar um alimento com outro e, assim, fazer escolhas corretas. Todos os nutrientes devem fazer parte dessa avaliação, nenhum deve ficar de fora.

 O consumidor pode, por exemplo, comparar iogurtes de diferentes marcas e escolher aquele que tem menos gordura total e gordura saturada e que, mesmo assim, apresente a mesma ou maior quantidade de cálcio.

 A informação nutricional pode ser de grande ajuda para se atingir o consumo de 30 gramas de fibras por dia. Uma maneira prática de escolher alimentos com grandes quantidades de fibras é preferir aqueles que apresentam maiores números nos valores diários (%VD).

 É importante ressaltar que não existe alimento bom ou ruim, mas, adequado ou não, dependendo da situação de cada pessoa e também dependendo do quanto ela já consumiu de um determinado alimento naquele dia.

6. Quais são os mais importantes levando-se em consideração cada faixa etária?

Todos os nutrientes devem ser considerados ao se escolher um alimento em detrimento a outro. Nenhum deles deve ficar de fora, independentemente da faixa etária.

 7. Deve-se priorizar o baixo valor energético de um alimento ou o alto valor nutricional?

 Uma pessoa saudável pode comer com moderação todos os tipos de alimentos, não havendo necessidade de se excluir aqueles de alto valor calórico. A moderação está em consumir todos os alimentos na quantidade certa e de forma variada.

 8. Qual a diferença entre cal e kcal?Qual é mais importante estar no rótulo?

 O correto é kcal (quilocaloria), ou seja, equivale a energia contida nos alimentos.

 Usualmente, utiliza-se caloria e quilocaloria como sinônimos. 

9. Como é calculado a quantidade de cada item nos alimentos? (de que forma mensuram? Por exemplo, como vocês chegam ao valor de que um biscoito possui X calorias?)

 Para definir os valores nutricionais dos produtos, são utilizados laudos de análises físico-químicas.

 Permite-se também a utilização de tabelas de referência como base para os cálculos, como por exemplo:

 – Tabela Brasileira de Composição de Alimentos – Nepa/Unicamp/ MS/MDS

– U.S. Department of Agriculture, Agricultural Research Service. 1999. USDA Nutrient Database for Standard Reference, Release 13.

– Tabela de Composição de Alimentos do ENDEF, IBGE.

 A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que no Brasil é o órgão responsável pela regulação da Rotulagem de Alimentos, definiu regras para arredondamento dos números, assim como padronização de porções e medidas caseiras.

Anúncios

4 comentários sobre “Desvendando a tabela nutricional

  1. Antonio Paz Lima Filho disse:

    Por que os animais erbivoros vivem e muito bem alimetando-se unicamente de capim,
    enquanto os seres humanos tem uma quantidade variadisima de alimentos e uma mistu-
    ra dos mesmos fora do comum?

    • Caro Sr. Antonio;
      Agradeço sua participação no blog, mas infelizmente não posso comentar a sua pergunta, pois meus conhecimentos se limitam à nutrição humana. Não tenho formação veterinária.
      Continue sempre participando.
      Maria Fernanda

  2. oii !! sou lutador de muay thai (uma luta que exige muita resistencia ) . tenho 57 kilos e tenho 1,62 cm e tenho 13 anos . gostaria de saber o que é bom comer antes da luta para dar bastante energia ?? me respondem com urgencia por favor … obrigado!!

    • Olá Ledsley, tudo bem? Seu desempenho irá melhorar bastante se tiver um acompanhamento nutricional personalizado, com um cardápio elaborado especialmente para suas necessidades. De qualquer forma, sempre recomendamos o consumo de alimentos fontes de carboidratos antes do exercício. Você pode optar entre frutas, pães, cereais, massas (sempre dando preferência para as versões integrais desses alimentos). Bons treinos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s