Intolerância à lactose e alergia ao leite: existe diferença?

O leite de vaca, principal fonte de cálcio na alimentação, pode não ser bem tolerado pelo organismo de algumas pessoas. Após sua ingestão, os sintomas nesses indivíduos podem variar de um leve inchaço abdominal até problemas respiratórios graves.

O termo “alergia ao leite” se popularizou e, atualmente, é muito utilizado para descrever possíveis causas de intolerância, provenientes de reações alérgicas ou não.

A nutricionista Tatiane Loidi de Santana Garbugio explica que existe uma grande diferença entre  intolerância e alergia ao leite: “O nosso organismo produz uma série de enzimas responsáveis por reduzir o tamanho das moléculas proveniente dos alimentos, que são absorvidas pelo intestino e levadas até a corrente sanguínea. Uma dessas enzimas chama-se lactase e é responsável por reduzir o tamanho do açúcar existente naturalmente no leite, chamado de lactose. Se por algum motivo ocorrer a falta ou diminuição dessa enzima,  a lactose não poderá ser absorvida e sua permanência no intestino poderá causar distensão abdominal, dores e até diarréia. Este quadro é denominado intolerância à lactose”.

“A alergia ao leite é outra coisa. Neste caso, o problema está relacionado com a proteína do leite, chamada de caseína. Por algum motivo, o organismo reconhece a caseína como um corpo estranho que irá causar malefícios e reage contra ela causando erupções na pele, manchas vermelhas, problemas respiratórios e, às vezes, diarréia”.

As causas dos dois problemas também são bastante distintas. “A diminuição da produção da enzima lactase pode ser decorrente de vários fatores, como infecções bacterianas ou virais, doenças do intestino, AIDS, desnutrição ou mesmo o avanço da idade, diz a nutricionista. “Por outro lado, no caso da alergia ao leite, a origem é geralmente congênita, ou seja, a pessoa já nasce com a doença”.

Crianças com sintomas de alergia ao leite costumam apresentar melhora à partir dos 2 anos de idade, podendo haver manifestações até os 5 anos. O tratamento nos casos de alergia é a exclusão total da bebida e seus derivados da alimentação. Para os jovens com intolerância, a restrição do consumo de leite geralmente é suficiente. “A redução ou retirada total dos lácteos da alimentação deve ser muito cautelosa, pois eles são ótimas fontes de cálcio biodisponível, ou seja, que vai ser reconhecido e absorvido pelo organismo”, revela.

A dose tolerada do alimento varia de pessoa para pessoa, da mesma forma que alguns itens – como a coalhada – podem ser mais bem aceitos pelo organismo. Portanto, um nutricionista deve ser sempre consultado para acompanhar de perto a aceitação do alimento, assim como a utilização de produtos substitutos. Nos casos de intolerância, por exemplo, o consumo de iogurtes é incentivado devido à presença de lactobacilos, que auxiliam na saúde intestinal.

Fonte: Portal Nestlé Brasil (www.nestle.com.br)

Anúncios

4 comentários sobre “Intolerância à lactose e alergia ao leite: existe diferença?

  1. cristiane disse:

    Boa Noite! Dra Maria Fernanda Elias.
    Nasci com alergia ao leite, mas com o tempo consegui acrescentar o consumo de leite na minha alimentação.
    Aos 25 anos comecei a ter problemas com Hormônio de prolactina. O meu rosto ficou cheio de acne de grau 4, engordei 12 quilos, minha mama ficou dolorida e aumentou.
    Agora aos 35 anos descobrir que estou com Hipotireoidismo, osteopenia.
    Gostaria de saber se o leite pode ter provocado esses problemas hormônais, e como posso reverter para ter uma melhora na saúde?
    Obrigada pela atenção!

    • Olá Cristiane, agradeço sua participação neste blog. Entretanto, não é possível fazer um diagnóstico do seu problema de saúde por meio do seu relato. Sugiro que você marque uma consulta presencial com um nutricionista. Dessa forma, ele será capaz de fazer uma avaliação minusciosa, realizar exames clínicos e solicitar exames laboratoriais. Esse é o melhor caminho. Boa sorte!

  2. Marcia Cristina disse:

    Gostei muito sobre as matérias relacionadas a alergia a lactose, gostaria de mais informações se possível, pois tenho um filho alérgico, 2 sobrinhos e 1 prima, porém a prima hoje com 10 anos já consegue comer algumas coisas a mais que os outros, tanto meu filho e os sobrinhos tem apenas 3 anos, e nao comem quase nada. Obrigada.

    • Olá Marcia, minha orientação é que você agende uma consulta com um nutricionista para que, durante a consulta, ele possa avaliar as crianças e fazer recomendações personalizadas à necessidade de cada uma delas, ok? Um abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s