Estudo mostra que a falta de sono pode levar ao aumento de peso

Fonte: Veja Saúde online

O hábito de dormir pouco leva uma pessoa a comer mais do que necessita, especialmente nos horários em que deveria estar dormindo.

Passar cinco dias dormindo pouco – menos do que cinco horas por noite — pode ser o suficiente para fazer com que uma pessoa engorde cerca de um quilo, concluiu um novo estudo da Universidade do Colorado em Boulder, nos Estados Unidos. De acordo com a pesquisa, quem passa mais horas acordado, embora gaste mais energia, come mais do que precisa e, assim, ingere uma quantidade de calorias maior do que gasta, especialmente à noite, o que acaba promovendo o ganho de peso.

Essas conclusões foram publicadas nesta segunda-feira no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS). Segundo escreveram os autores do estudo no artigo, diversos estudos já relacionaram o hábito de dormir pouco a uma maior propensão à obesidade, mas poucos conseguiram encontrar uma explicação para tal associação.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Impact of insufficient sleep on total daily energy expenditure, food intake, and weight gain

Onde foi divulgada: periódico PNAS

Quem fez: Rachel Markwalda, Edward Melansonb, Mark Smitha, Janine Higginsd, Leigh Perreaultb, Robert H. Eckelb e Kenneth Wright

Instituição: Universidade do Colorado em Boulder, EUA

Dados de amostragem: 16 pessoas com uma média de 24 anos

Resultado: Dormir menos do que cinco horas por noite, durante cinco dias, pode engordar, em média, um quilo. Em comparação com pessoas que dormem nove horas por noite, quem tem um sono de apenas cinco horas gasta mais energia, mas consome mais calorias, especialmente após o jantar

O que você não sabe sobre a “Vitamina do Sol”

A Revista VEJA exibe como matéria de capa as descobertas científicas que reforçam o papel da vitamina D na promoção da saúde.

O tema já foi pauta de vários posts aqui no blog da Food Notes. Confira:

– Ingestão insuficiente de vitamina D pode levar à fragilidade óssea

– Brasileiro ingere quantidades de vitamina D muito abaixo das recomendações mundiais

– Estudo revela nível preocupante de brasileiros com deficiência de vitamina D